.mais sobre mim

.pesquisar

 

.posts recentes

. O Cão

. Calendários 2010

. Os dez mandamentos das cr...

. Multiplicar Com Os Dedos

. Pinóquio para verificar

. Máscaras

. O que é a dislexia?

. Grupo Nominal e Grupo Veb...

. Sílaba e divisão silábica

. Ditongos e Dígrafos

.Baú

. Setembro 2013

. Fevereiro 2010

. Junho 2009

. Maio 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Setembro 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

.tags

. adivinhas

. ambiente

. anedotas

. animais

. aniversários

. anjinhos

. aprende

. cao

. carnaval

. conselhos úteis

. contos tradicionais

. culinária

. dia da mãe

. dias comemorativos

. direitos...

. estações do ano

. família

. familia

. faz tu

. gramática

. história de portugal

. histórias

. ideias

. imprime

. jogos

. jogos tradicionais

. lengalengas

. máscaras

. miminhos

. monumentos

. natal

. o que faz...

. para colorir

. parabéns

. páscoa

. passatempos

. pinta

. provérbios

. reciclagem

. sabia que...

. sabias que...

. santos populares

. saúde

. todas as tags

Obrigada por sua visita! Você já esteve aqui

Sexta-feira, 11 de Maio de 2007

A sopa de Pedra

 

Um frade andava a pedir de porta em porta até que chegou à quinta de um lavrador, mas não lhe quiseram aí dar nada. O frade, que estava a cair de fome, disse:
– Já que não me podem dar nada, vou ver se faço uma sopinha de pedra.
Pegou então numa pedra do chão, sacudiu-lhe a terra e pôs-se a olhar para ela para ver se era boa para fazer uma sopa. A gente da casa pôs-se a rir do frade e daquela lembrança. Diz o frade:
– Então nunca comeram sopa de pedra? Só lhes digo que é um petisco!
Responderam-lhe:
– Sempre queremos ver isso.
Foi o que o frade quis ouvir. Depois de ter lavado a pedra, disse:
– Se me emprestassem aí um pucarinho...
Deram-lhe uma panela de barro. Ele encheu-a de água e deitou-lhe a pedra dentro.
– Agora se me deixassem estar a panelinha aí ao pé das brasas...
Deixaram. Assim que a panela começou a chiar, disse ele:
– Com uma pinguinha de azeite é que o caldo ficava de primor...
Foram-lhe buscar o azeite. Ferveu, ferveu, e a gente da casa pasmada com o que via. Diz o frade, provando o caldo:
– Está um bocadinho insosso; bem precisava de uma pedrinha de sal.
Também lhe deram o sal. Temperou, provou, e disse:
- Agora é que com uns olhinhos de couve ficava que os anjos a comeriam.
A dona da casa foi à horta e trouxe-lhe duas couves tenras. O frade limpou-as, e ripou-as com os dedos deitando as folhas na panela.
Quando as couves já estavam a ferver disse o frade:
– Ai, um naquinho de chouriço é que lhe dava uma graça...
Trouxeram-lhe um pedaço de chouriço; ele pô-lo na panela, e enquanto se cozia, tirou do alforge pão, e arranjou-se para comer com vagar. A sopa cheirava que era um regalo e o frade comeu e lambeu o beiço. Depois de despejada a panela ficou a pedra no fundo. A gente da casa, que estava com os olhos nele, perguntou-lhe:
– Ó senhor frade, então e a pedra?
Respondeu o frade:
– A pedra lavo-a e levo-a comigo para outra vez.
E assim comeu onde não lhe queriam dar nada.
 

Obrigada pela visita.

                    Apareça mais vezes!!!

 

Cris às 00:01
| comentar | favorito
1 comentário:
De AnaG a 11 de Maio de 2007 às 14:03
Deixei um "meme" à tua espera no meu canto.
Passa por lá.

Beijinhos

Comentar post

.links