.mais sobre mim

.pesquisar

 


. Quem Aprova Este Blog


Aprovado pelo VICKYS.com.br



.posts recentes

. O Cão

. Calendários 2010

. Os dez mandamentos das cr...

. Multiplicar Com Os Dedos

. Pinóquio para verificar

. Máscaras

. O que é a dislexia?

. Grupo Nominal e Grupo Veb...

. Sílaba e divisão silábica

. Ditongos e Dígrafos

.Baú

. Setembro 2013

. Fevereiro 2010

. Junho 2009

. Maio 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Setembro 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

.tags

. adivinhas

. ambiente

. anedotas

. animais

. aniversários

. anjinhos

. aprende

. cao

. carnaval

. conselhos úteis

. contos tradicionais

. culinária

. dia da mãe

. dias comemorativos

. direitos...

. estações do ano

. família

. familia

. faz tu

. gramática

. história de portugal

. histórias

. ideias

. imprime

. jogos

. jogos tradicionais

. lengalengas

. máscaras

. miminhos

. monumentos

. natal

. o que faz...

. para colorir

. parabéns

. páscoa

. passatempos

. pinta

. provérbios

. reciclagem

. sabia que...

. sabias que...

. santos populares

. saúde

. todas as tags

. Que horas são?

Link-me!



Link-Me



Link-Me



.Mural

.Tudo para os Animais

Loja para mascotes






Olá. Seja bem vindo!


Obrigada por sua visita! Você já esteve aqui

Sábado, 30 de Junho de 2007

As Orelhas do Abade

 

 

 

 

 

005y52sk

 

 

 

 

 005xax88

 

 

 

 

Um sujeito bom caçador convidou o abade da sua freguesia para ir comer com ele duas perdizes guisadas, e deu-as à mulher para as cozinhar. A mulher, raivosa por não contarem com ela, cozinhou as perdizes e comeu-as. Nisto chega o abade muito contente, e diz-lhe a mulher:
- Fuja, senhor abade, que o meu homem jurou que lhe havia de cortar as orelhas, e isto das perdizes foi um pretexto para cá o pilhar.
O abade não quis ouvir mais, e ele por aqui me sirvo.
O marido chega, e diz-lhe a mulher:
- O abade aí veio, viu as perdizes, e não queria esperar mais por ti, pegou nelas ambas e foi-se embora.
O homem vem à porta da rua, e ainda vê o abade fugindo, e começa a gritar:
- Ó senhor abade! Pelo menos deixe-me uma.

- Nem uma, nem duas! - respondeu ele lá de longe.


 

Teófilo Braga 

 

 

 

005x1772

 

 

 

005y52sk

 

 

 

Sexta-feira, 29 de Junho de 2007

Anjinhos Com Nome - D

 

                                                                         

00654thf

 

 

005xg397

 

 

 

 

 

005xg397

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

005xg397 

 

 

005wqeec

 

 

005xg397

 

 

 

tags:
Quinta-feira, 28 de Junho de 2007

D. Pedro I e D. Inês de Castro

 

 

 

 

 

 

 

 

 

D. Pedro I e D. Inês de Castro

 

  • D. Pedro I foi o 8º rei de Portugal. Uns chamaram-no de Justiceiro outros de Cruel. Estas "alcunhas", ou cognomes, têm a ver com uma triste história de amor que viveu quando ainda era príncipe. Tens curiosidade? Então lê a história de D. Pedro e D. Inês de Castro, uma das mais famosas histórias de amor do mundo!

  • D. Pedro nasceu em 1320 e era filho de D. Afonso IV, que teve muitas dificuldades durante o reinado, nomeadamente por causa de pestes e maus anos agrícolas. Viveu também muitas guerras na conquista de África, por isso queria muito agradar o povo.

  • Tudo começou com o casamento de D. Pedro com uma princesa espanhola, D. Constança. Não existia amor entre os dois, uma vez que o casamento foi arranjado pelos pais. Foi nessa altura que D. Pedro conheceu D. Inês de Castro, uma das aias (dama de companhia) de D. Constança, por quem se apaixonou.

  • Esta ligação amorosa não foi nada bem vinda. Todos tinham medo que D. Inês, filha de um poderoso nobre espanhol, pudesse ter má influência sobre o príncipe. Assim, quando D. Constança morreu, D. Afonso continuou a condenar o namoro dos dois apaixonados.

  • De início, D. Afonso tentou afastá-los, proibindo D. Inês de viver em Portugal. Mas isto não resultou porque os dois pombinhos foram morar para a fronteira de Portugal e Espanha e continuavam a encontrar-se. Diz-se que se casaram nesta altura, mas ninguém sabe de certeza.

  • O rei estava muito preocupado porque via que o povo tinha medo da influência de D. Inês, além do mais não estava nada contente com as guerras e a fome que se viviam no reino. Assim se explica a decisão de D. Afonso IV de condenar D. Inês de Castro à morte, influenciado por dois conselheiros.

  • Sabias que o local onde D. Inês foi morte, em Coimbra, é hoje conhecido como a Quinta das Lágrimas? É um lugar onde os namorados se encontram.


  • Depois da execução de D. Inês de Castro, D. Pedro revoltou-se contra o pai e declarou-lhe guerra. Felizmente, a paz voltou graças à rainha-mãe, que evitou o encontro militar entre pai e filho.

  • Quando D. Pedro subiu ao trono, era muito cuidadoso com o povo, que gostava bastante dele. Mas uma das primeiras coisas que fez foi vingar a morte de D. Inês de Castro executando de modo cruel os ex-conselheiros do pai: mandou arrancar-lhes o coração! Dizia que era assim que se sentia desde que D. Inês tinha morrido.

  • O mais sinistro de toda a história é que D. Pedro elevou D. Inês de Castro a rainha já depois de morta e obrigou toda a corte a beijar-lhe a mão, ou o que restava dela (porque D. Inês já tinha morrido há dois anos).

  • Apesar de ter perdido o seu grande amor, D. Pedro voltou a casar-se e teve vários filhos, legítimos e ilegítimos. Dois deles chegaram a reis: D. Fernando e D. João I, Mestre de Avis.

                   

  • Mandou depois construir o mosteiro de Alcobaça, onde fez um belo túmulo para D. Inês de Castro. Mesmo em frente mandou construir o seu, onde foi enterrado em 1367. Diz-se que estão nesta posição para que, quando acordarem no dia do Juízo Final, olhem imediatamente um para o outro.

  • A trágica história de D. Pedro e D. Inês inspirou poetas, escritores e compositores em Portugal e no estrangeiro. Camões foi um dos primeiros escritores a celebrar a lenda, em "Os Lusíadas".

     

     

     

     

     

  • Quarta-feira, 27 de Junho de 2007

    1, 2, 3 Macaquinho do Chinês

     

     

     

     

     

     

    Jogam oito ou mais crianças, num espaço que tenha parede ou muro, embora estes possam ser substituídos por um risco desenhado no chão.

    Uma criança, o “macaquinho chinês, posiciona-se junto ao muro, virada para a parede, e de costas para as outras, que estão colocadas lado a lado, a cerca de dez metros ou mais.


    O macaquinho chinês bate com as mãos na parede dizendo: “Um, dois, três, macaquinho chinês”.

    Enquanto este diz a frase, os outros avançam na direcção da parede. Mal o macaquinho chinês termina a frase volta-se imediatamente para os outros, tentando ver alguém a mexer-se. Quem for visto a mexer-se volta para trás até à linha de partida. Assim, as crianças só podem avançar quando o macaquinho chinês diz a frase, pois ele pode fingir voltar-se para a parede e olhar para trás, a ver se apanha alguém a mexer-se.

    Desenho proveniente da classe da professora Joana Pereira, EB1 de Carregosa

     

      

                       Obrigada pela visita.

                 Volte Sempre!!!

     

     

    Cris às 00:01
    | comentar | favorito
    Terça-feira, 26 de Junho de 2007

    Cinderela

     

     

     

     

     

    Recebi um novo prémio!!!

     

    0065bq7g

     

    Foi-me dado pela amiga Manuela do blog

     

    http://simplesmentemanuela.blogspot.com

     

     

    Obrigada amiga, adorei!!!

     

     

    E agora.... Um miminho para 2 amigas

     

     

    Para a Gel do blog

     http://my-secrets.blogs.sapo.pt

     

     

    00659r2w

     

     

    E para a Manuela do blog

    http://simplesmentemanuela.blogspot.com

     

     

    0065arx6

     

     

    Espero que gostem!!!

     

     

     

     

     

     

                       

     

     

    Era uma vez um homem cuja primeira esposa tinha morrido, e que tinha casado novamente com uma mulher muito arrogante. Ela tinha duas filhas que se pareciam muito com ela.
    O homem tinha uma filha de seu primeiro casamento. Era uma moça meiga e bondosa, muito parecida com a mãe.
    A nova esposa mandava a jovem fazer os serviços mais sujos da casa e dormir no sótão, enquanto as “irmãs” dormiam em quartos com chão encerado.
    Quando o serviço da casa estava terminado, a pobre moça
    sentava-se junto à lareira, e sua roupa ficava suja de cinzas. Por esse motivo, as malvadas irmãs gazavam com ela.

    Embora Cinderela tivesse de vestir roupas velhas, era ainda cem vezes mais bonita que as irmãs, com seus vestidos esplêndidos.
    O rei mandou organizar um baile para que seu filho escolhesse uma jovem para se casar, e mandou convites para todas as pessoas importantes do reino.

    As duas irmãs ficaram contentes e só pensavam na festa. Cinderela ajudava. Ela até lhes deu os melhores conselhos que podia e ofereceu-se para arranja-las para o evento.
    As irmãs gozavam com Cinderela, e diziam que ela nunca poderia ir ao baile.
    Finalmente o grande dia chegou.

    A pobre Cinderela viu a madrasta e as irmãs saírem numa carruagem em direção ao palácio.

    De seguida sentou-se perto da lareira e começou a chorar.
    Nesse instante, apareceu diante dela uma fada, que disse ser sua fada madrinha, e ao ver Cinderela chorando, perguntou: “Gostavas de ir ao baile, não é?”
    “Sim”, suspirou Cinderela.
    “Bem, eu posso fazer com que você vá ao baile”, disse
    a fada madrinha.
    Ela deu umas instruções esquisitas à moça: “Vá ao jardim e
    traga-me uma abóbora.”

    Cinderela trouxe e a fada madrinha esvaziou a abóbora até ficar só a casca. Tocou-a com a varinha
    mágica e a abóbora transformou-se  numa linda carruagem dourada!
    De seguida a fada madrinha transformou seis ratos em cavalos lindos, tocando-os com sua varinha mágica.

    Escolheu também um rato que tinha o bigode mais fino para ser o cocheiro mais bonito do mundo.

    A fada disse a Cinderela: “Vai atrás do regador... lá encontrarás seis lagartos. Traz-mos aqui.”
    Cinderela nem acabou de trazê-los e a fada madrinha transformou-os em ratos.

    Eles subiram atrás da carruagem, com os seus uniformes de gala, e ficaram ali como se nunca tivessem feito outra coisa na vida.
    Em relação à Cinderela, bastou um toque da varinha mágica para transformar os farrapos que usava num vestido de ouro e prata,
    bordado com pedras preciosas.

    Finalmente, a fada madrinha  deu-lhe um par de sapatinhos de cristal.
    Toda arranjada, Cinderela entrou na carruagem.

    A fada madrinha avisou-a que deveria estar de volta à meia-noite, pois o encanto terminaria ao bater do último toque da meia-noite.
    O filho do rei pensou que Cinderela fosse
    uma princesa desconhecida e apressou-se a ir dar-lhe as boas vindas.

    Ajudou-a a descer da carruagem e levou-a ao salão de baile. Todos pararam e ficaram admirando aquela rapariga que acabara de chegar.
    O príncipe estava encantado, e dançou todas as músicas com Cinderela. Ela estava tão absorvida com ele, que se esqueceu completamente do aviso da fada madrinha.

    Então, o relógio do palácio começou a bater doze badaladas... Cinderela  lembrou-se do aviso da fada e, num salto, pôs-se de pé e correu para o jardim.
    O príncipe foi atrás dela, mas não conseguiu alcançá-la. No entanto, com a  pressa ela deixou cair um dos seus elegantes sapatinhos de cristal.
    Cinderela chegou em casa exausta, sem carruagem, sem lacaios evestindo sua roupa velha e rasgada.

    Nada tinha restado do seu esplendor, a não ser o outro sapatinho de Cristal.
    Mais tarde, quando as irmãs chegaram em casa, Cinderela perguntou-lhes se tinham se divertido.

    As irmãs, que não tinham percebido que a princesa desconhecida era Cinderela, contaram tudo sobre a festa:

    Como o príncipe ficara com um sapatinho que tinha caído e e como tinha passado toda a festa olhando fixamente para a dona do sapato, e que provavelmente estaria apaixonado pela linda desconhecida.
    As irmãs tinham contado a verdade.

    Alguns dias depois, o filho do rei anunciou publicamente que se casaria com a moça em cujo pé o sapatinho servisse perfeitamente.
    Embora todas as princesas, duquesas e todo resto das damas da corte tivessem experimentado o sapatinho, ele não serviu emnenhuma delas.
    Um mensageiro chegou à casa de Cinderela trazendo o sapatinho. Ele deveria calçá-lo em todas as raparigas da casa. As duas raparigas, tentaram de todas as formas calçá-lo, em vão, mas Cinderela sorriu e disse, “Eu gostaria de experimentar o sapatinho para ver se me serve!”
    As irmãs riram e troçaram dela, mas o mensageiro tinha recebido ordens para deixar todas as raparigas do reino experimentarem o sapatinho. Então, fez Cinderela sentar-se e, para surpresa de todos, o sapatinho serviu-lhe perfeitamente!
    As duas irmãs ficaram espantadas, mas ainda mais espantadas quando Cinderela tirou o outro sapatinho de cristal do bolso e calçou no outro pé.
    Nesse momento, surgiu a fada madrinha, que tocou 
    a roupa de Cinderela com a varinha mágica. e imediatamente os farrapos transformaram-se num vestido ainda mais bonito do que aquele que ela havia usado antes.
    A madrasta e suas filhas reconheceram a linda “princesa” do baile, e caíram de joelhos implorando seu perdão, por todo sofrimento que lhe tinham causado.
    Cinderela abraçou-as e disse-lhes que perdoava de todo o coração.
    Em seguida, no seu vestido esplêndido, ela foi levada à presença do príncipe, que aguardava ansioso sua amada.
    Alguns dias mais tarde, casaram-se e viveram felizes para
    sempre.

     

     

     

     

     

    Obrigada pela visita.

    Volte sempre!!!

    Segunda-feira, 25 de Junho de 2007

    Anjinhos Com Nome - C

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

    tags:
    Domingo, 24 de Junho de 2007

    D. Dinis

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

     

    D. Dinis
     
    • O rei D. Dinis foi o sexto rei da Primeira Dinastia, chamada Afonsina porque começou com o D. Afonso Henriques. Este rei governou em Portugal de 1279 a 1325. Reinar 46 anos é muito tempo! A esperança de vida nesta época era mais ou menos de 50 anos...

    • "D. Dinis fez tudo o que quis", é uma expressão muito verdadeira. Começou a reinar com 18 anos e era muito responsável, pois foi educado desde sempre para governar.

    • Uma das primeiras coisas que fez foi instaurar as chamadas Inquirições (não confundir com a Inquisição!). Esta medida não deixou o clero e a nobreza nada felizes, mas o rei não se importou.

    • Cada rei tinha um cognome, uma espécie de alcunha pela qual ficavam conhecidos. D. Dinis era "O Lavrador".

    • Era assim chamado por duas razões:

      1. Desenvolveu a agricultura, dando terras para cultivar a quem não as tinha (mas apenas se as trabalhassem) e por transformar zonas de pântanos em terras próprias para a agricultura.

      2. Mandou plantar o famoso pinhal de Leiria. Aliás, a verdade é que apenas substituiu os pinheiros mansos que já existiam por pinheiros bravos, de melhor crescimento e raízes mais fortes. Assim preveniu a erosão.

     

    • Para aumentar o comércio, D. Dinis promoveu as feiras francas, onde os comerciantes não pagavam determinados impostos. Por exemplo, não pagavam portagens, que já na altura eram caras.

    • Também ajudou a incentivar o comércio com outros países e protegeu a exportação para a Europa de produtos agrícolas, peixe e sal (que tínhamos muito), em troca de tecidos.

    • As ordens religiosas militares passaram a depender do rei, e foram substituídas pela Ordem de Cristo, que depois seria muito importante nos Descobrimentos.

    • Na cultura também foi um dos reis que se distinguiu mais. Além de ser poeta, protegia os nossos escritores e fazia com que se guardassem todos os seus escritos no Estudo Geral de Lisboa.

    • Por outro lado, fundou a Universidade de Coimbra, que foi durante muitos anos a única em Portugal! Foi a partir do seu reinado que todos os documentos passaram a ser escritos em português. Sabias que antes era tudo escrito em latim?

    • D. Dinis foi muito inovador. Infelizmente nem todos concordavam com as suas ideias o que levou a algumas guerras com o irmão, o rei de Castela, e mesmo com o seu filho mais velho.

    • Quem tentava sempre acabar com estes problemas era a rainha Santa Isabel, uma mulher muito religiosa e que se dedicava a ajudar os pobres e os inocentes. Dizia-se que fazia milagres, dos quais o Milagre das Rosas é o mais conhecido.
    • D. Dinis nasceu em Santarém, em 1261, e morreu na mesma cidade em 1325. Foi sepultado no Mosteiro de Odivelas. Era filho de D. Afonso III e de D. Beatriz.

    • Casou com D. Isabel de Aragão (um reino de Espanha) e teve dois filhos: D. Constança e D. Afonso, que veio a ser D. Afonso IV.

     

     

     

     

     

    Sábado, 23 de Junho de 2007

    Dia Olímpico

     

     

     

     

     

     

    002e6czs

     

     

     

     

     

     

     

     

     

    Tenho um novo Prémio!!!

    Este Prémio foi-me oferecido pela Manuela do blog

    http://simplesmentemanuela.blogspot.com

    Obrigada amiga!!!!

     

     

     

     

     

  • Os Jogos Olímpicos da Era Moderna começaram na Grécia, em 1896, e foi uma estreia atribulada. Não havia comités olímpicos nacionais, nem equipas como é normal.

  • Mesmo assim, participaram 14 países e 245 atletas, muitos deles pagando as suas próprias deslocações.

    A ideia partiu do barão Pierre de Coubertin que se inspirou nos jogos que existiam na Grécia Antiga, há mais de 2500 anos!

  • Nessa época, os Jogos eram dedicados ao deus Zeus e diz-se que o primeiro atleta foi Hércules, o seu filho, que lhe dedicou os Jogos depois de concluir um dos seus «12 Trabalhos».

  • O objectivo era (e é) mostrar a união entre todos os povos da Terra.

  • Na Grécia Antiga todas as guerras (que eram muitas) paravam durante os 5 dias que duravam os Jogos Olímpicos - os jogos da Paz.

  • Antigamente os Jogos organizavam-se de 4 em 4 anos entre Agosto e Setembro (que era a época das colheitas).
    Hoje a tradição mantém-se.

     

     

     

     

     

    Desportos Olímpicos
     
    Modalidade Modalidade Olímpica desde...

    Andebol

    1936

    Atletismo (24 disciplinas)

    1896

    Badminton

    1992

    Basebol

    1992

    Basquetebol

    1936

    Boxe

    1904

    BTT

    1996

    Canoagem (4 disciplinas)

    1936

    Ciclismo (provas de estrada e de pista)

    1896

    Esgrima (3 disciplinas)

    1896

    Futebol

    1900

    Ginástica Desportiva

    1896

    Ginástica Rítmica

    1948

    Ginástica - Trampolins

    2000

    Halterofilismo

    1896

    Hipismo (7 disciplinas)

    1900

    Hóquei em campo

    1908

    Judo

    1964

    Luta livre

    1896

    Natação

    1896

    Natação sincronizada

    1984

    Pentatlo Moderno (corrida, natação, esgrima, tiro e hipismo)

    1912

    Polo aquático

    1900

    Remo

    1896

    Saltos para a água (4 disciplinas)

    1924

    Softball

    1996

    Taekwondo

    2000

    Ténis

    1896

    Ténis de mesa

    1988

    Tiro (5 disciplinas)

    1896

    Tiro com arco

    1900

    Triatlo (natação, corrida e ciclismo)

    2000

    Vela (9 disciplinas)

    1900

    Voleibol

    1964

    Voleibol de Praia

    2000

     

     

      

     

    Mascotes dos Jogos Olímpicos

     

    Los Angeles 1932
    Smoky (cão)
    México 1968
    Jaguar Vermelho

    Munique 1972
    Waldi

    Montreal 1976
    Amik

    Moscovo 1980
    Misha

    Los Angeles 1984
    Sam

    Seul 1988
    Hodori e Hosuni

    Barcelona 1992
    Cobi

    Atlanta 1996
    Izzy

    Sydney 2000
    Syd, Millie e Olly

    Atenas 2004
    Athena e Phevos
     

     

     

     

    0052a0qx

     

     

     

     

    002e6czs

     

     

     

     

  • Sexta-feira, 22 de Junho de 2007

    A Princesa e a Ervilha

     

     

     

     

     

    Seja bem vindo!!!

     

     

     

    Tive um prémio da minha amiga

    Manuela do blog

     

    http://simplesmentemanuela.blogs.sapo.pt

     

     

     

    Muito obrigada amiga!!!

     

     

     

     

    Era uma vez um príncipe que se queria casar com uma princesa, mas uma princesa de verdade, de sangue mesmo real .

    Viajou pelo mundo inteiro, à procura da princesa dos seus sonhos, mas todas as que encontrava tinham algum defeito.

    Não é que faltassem princesas: até havia de mais, mas a dificuldade era saber se realmente eram de sangue real.

    E o príncipe voltou ao seu castelo, muito triste e desiludido, pois queria muito casar
    com uma princesa de verdade.
    Numa noite, estando  uma tempestade horrível, chovia desabaladamente, com trovoadas, raios e relâmpagos... um espetáculo que até metia medo, de repente 
    bateram à porta do castelo, e o rei em pessoa foi atender, pois os criados estavam ocupados enxugando as salas cujas janelas tinham sido abertas pela tempestade.
    Era uma moça, que dizia ser uma princesa. Mas estava de tal maneira encharcada que os seus cabelos escorriam, as suas roupas de pegavam-se-lhe ao corpo, e os sapatos de tão encharcados estavam-se a descolar...  era difícil acreditar que realmente  fosse uma princesa real.
    A rapariga tanto afirmou que era uma princesa que a rainha pensou numa forma de provar  que o que ela dizia era verdade.
    Ordenou à sua criada de confiança que empilhasse vinte colchões no quarto de hóspedes e colocou sob eles uma ervilha. Aquela seria a cama da “princesa”.
    A rapariga estranhou a altura da cama, mas conseguiu, com a ajuda
    de uma escada,deitar-se.
    No dia seguinte, a rainha perguntou como ela tinha dormido.
    — Oh! Não consegui dormir — respondeu a rapariga, havia algo duro na minha cama, que até me deixou  manchas roxas no corpo!
    O rei, a rainha e o príncipe olharam-se com surpresa. A rapariga era realmente uma princesa! Só mesmo uma princesa verdadeira teria a pele tão sensível para sentir um grão de ervilha sob vinte colchões!!!
    O príncipe casou com a princesa, feliz da vida, e a ervilha foi enviada para um museu, e ainda deve estar por lá...
    Acredite se quiser, mas esta história  aconteceu realmente!

       Obrigada pela visita

                   Volte sempre!!!

     

    Quinta-feira, 21 de Junho de 2007

    Vitaminas

     

     

     

     

     

    Vitaminas - O que são
     
    • As vitaminas são elementos essenciais para o nosso corpo e para uma vida saudável.

    • Obtêm-se através dos alimentos, pois o nosso corpo não as "fabrica" sozinho. São muito importantes para o funcionamento do nosso organismo e para nos protegermos de muitas doenças.

    • Quando temos falta de uma dada vitamina (ou de várias), o nosso organismo funciona mal e surgem doenças. Essas doenças chamam-se avitaminoses.
      Algumas delas são tão importantes que têm nomes especiais, como o escorbuto ou o beribéri, por exemplo.

    • A falta de uma ou mais vitaminas pode acontecer quando a nossa alimentação não é suficientemente variada, quando há problemas no nosso organismo que alteram a absorção das vitaminas ou quando, por razões várias, o nosso corpo está a consumir mais vitaminas.

    • Para resolver esse problema, pode rever-se a alimentação, e ingerir mais alimentos que têm as vitaminas que nos fazem falta, ou então podem tomar-se suplementos vitamínicos.

    • É mais raro, mas também pode acontecer o contrário: excesso de vitaminas. A hipervitaminose pode acontecer quando ingerimos um certo tipo de alimentos a mais ou se tomamos vitaminas a mais.

     

    Vitaminas - Grupos de vitaminas
     
    • As vitaminas dividem-se em dois grupos:

      - Vitaminas Hidrossolúveis (solúveis em água)
        - Complexo B (Vitamina B1, Vitamina B2, Ácido pantoténico, Vitamina B6, Ácido fólico, Vitamina B12)
        -
        Vitamina C

      - Vitaminas Lipossolúveis (solúveis em gordura)


    • O nosso corpo consegue armazenar algumas reservas de vitaminas, mas armazena mais as vitaminas lipossolúveis do que as hidrossolúveis.

    • Se forem ingeridas em excesso, algumas vitaminas lipossolúveis podem alcançar níveis tóxicos no nosso organismo.

     

    Vitaminas - Vitamina A
     
    • Outros nomes: retinol

    • Tipo: lipossolúvel

    • História:
      Os antigos egípcios já sabiam que a cegueira nocturna se combatia dando fígado aos doentes - ou pondo compressas de fígado frito ou cozido sobre os olhos.
      Há dois mil anos, o famoso médico grego Hipócrates já recomendava comer fígado para tratar a cegueira nocturna.
      Em 1913, num estudo experimental, foi descrito que animais com xeroftalmia (secura dos olhos) a curavam comendo gema de ovo, leite, manteiga e óleo de fígado de bacalhau.
      Na guerra mundial de 1914 a 1918, a xeroftalmia era causada pela falta de manteiga na alimentação.

    • Curiosidade:
      A dose diária recomendada de vitamina A é de 800 µg. Em apenas 1 grama de fígado de urso polar encontram-se 12 mg de retinol!

    • Utilidade:
      Promove o crescimento. É fundamental para a visão e é importante para a pele, para a formação dos ossos, dentes, unhas e cabelo.

    • Onde se encontra:
      Fígado, cenoura, lacticínios gordos, gema de ovo, espinafres, sardinha, batata doce, couve, alface, salsa.

    • Se faltar...
      A avitaminose mais relacionada com a carência de vitamina A é a xeroftalmia (má visão ou cegueira nocturna, sensibilidade à luz, secura da vista). Seguem-se a redução do olfacto, a pele e as mucosas secas e o stress.

    • Se houver em excesso...
      O excesso de vitamina A é muito perigoso. Intoxica o organismo.
      Começa com a pele seca, dores no corpo, de cabeça, tonturas e náuseas. Segue-se a queda de cabelo, problemas no fígado e no baço, paragem de crescimento, falta de apetite, cansaço... E problemas piores.
      Já foram observados casos de envenenamento fatais pela ingestão de fígado de urso polar. (Mas não acreditamos que isso nos venha a acontecer...)

     

    Vitaminas - Complexo B
     
    • Vitamina B1

      Outro nome: tiamina

      Tipo: hidrossolúvel

      História:
      A vitamina B1 foi a primeira do complexo B a ser descoberta. O beribéri, a doença que a sua falta provoca, aumentou no século XIX, na Ásia, ao começar a produzir-se o arroz polido (sem casca).
      Em 1880, o almirante da marinha japonesa Takaki provou que a causa do beribéri era alimentar, combatendo a doença mudando a dieta dos marinheiros.
      Em 1897 Eijkman, um médico holandês em Java (Indonésia) observou que o pó do polimento do arroz, se diluído em água e dado aos doentes com beribéri, os curava.
      Em 1936 a vitamina B1 foi isolada e foi baptizada com o nome de tiamina.

      Utilidade:
      Ajuda nos processos de metabolismo (que são as transformações dos alimentos que ingerimos) dando-nos a energia de que precisamos.

      Onde se encontra:
      Ervilhas, feijão, arroz integral, pão integral, cereais integrais, carne de porco, fiambre, fígado, rins, nozes, peixe e gema de ovo.

      Se faltar...
      A avitaminose da vitamina B1 é uma doença chamada beribéri.
      O doente perde de sensibilidade, as forças, anda nervoso, tem dores no abdómen e pode começar a perder a memória...

      Se houver em excesso...
      Mesmo em doses elevadas, a tiamina não é tóxica. O excesso é eliminado pelos rins.
      __________________________________________________________


    • Vitamina B2

      Outro nome: riboflavina

       
      Tipo: hidrossolúvel

      História:
      Até 1879, já tinham sido isolados dos alimentos uma série de compostos amarelados a que foi dado o nome de flavinas.
      Verificou-se que uma parte se modificava com o calor (chamou-se-lhe B1) e que a outra era estável ao calor (chamou-se-lhe B2).

      Curiosidades:
      Os raios solares UV (ultravioletas) tornam a riboflavina inactiva.

      Utilidade:
      Ajuda nos processos de metabolismo (que são as transformações dos alimentos que ingerimos) dando-nos a energia de que precisamos.

      Onde se encontra:
      Cereais em grão, levedura de cerveja, leite, carne, ovos, fígado e verduras.

      Se faltar...
      Racham os cantos da boca e há inflamações bucais. Segue-se comichão, ardor nos olhos, pele seca, sensibilidade à luz, depressão, letargia e histeria.
      Mas as carências de vitamina B2 costumam acompanhar a falta de outras vitaminas...

      Se houver em excesso...
      Mesmo em doses elevadas, a riboflavina não é tóxica. O excesso é eliminado pelos rins.
      __________________________________________________________


    • Ácido Pantoténico

      Outros nomes: Vitamina B5

      Tipo: hidrossolúvel

      História:
      O ácido pantoténico foi descoberto em 1933 como sendo uma substância essencial para o crescimento de leveduras. O seu nome vem do grego: panthos significa "em toda a parte", porque o ácido pantoténico é encontrado em toda a parte.
      O seu primeiro papel foi verificado com uma doença de pele, a pelagra dos pintos, que se curava com extractos de fígado, mas não com o ácido nicotínico.
      Dois cientistas demonstraram que o factor que curava a doença de pele (dermatite) das aves era o ácido pantoténico.

      Utilidade:
      Ajuda nos processos de metabolismo (que são as transformações dos alimentos que ingerimos) dando-nos a energia de que precisamos. Actua sobre as hormonas, na resposta ao stress, na formação de anticorpos.

      Onde se encontra:
      Fígado, carnes, ovos, frutas, cereais em grão e verduras, leite, etc. Encontra-se em praticamente todos os alimentos.

      Se faltar...
      É raro dar-se pela falta desta vitamina. Pessoas com dietas normais não têm carência de ácido pantoténico.

      Se houver em excesso...
      O excesso de ingestão pode provocar diarreia.
      Como acontece com as vitaminas hidrossolúveis, os excessos são eliminados na urina.
      __________________________________________________________



    • Vitamina B6

      Outros nomes: piridoxina, piridoxol, piridoxamina e piridoxal.

      Tipo: hidrossolúvel

      História:
      Em 1926, verificou-se que uma das consequências da falta de vitamina B2 era a dermatite. Em 1936, um cientista separou da vitamina B2 um factor solúvel em água cuja falta era a verdadeira causa das dermatites a que chamou vitamina B6.

      Curiosidade:
      - A necessidade diária de piridoxina é directamente proporcional à ingestão de proteínas na dieta.
      - O cozimento reduz as quantidades de vitamina B6 dos alimentos.

      Utilidade:
      A Vitamina B6 favorece a respiração das células e ajuda no metabolismo das proteínas e das gorduras.
      Actua na produção de hormonas, participa no crescimento dos jovens e estimula as funções defensivas das células.

      Onde se encontra:
      Carne de porco, vísceras, cereais em grão, carnes, frutas e verduras. Germe de trigo, aveia, arroz integral, banana, batata, leguminosas, aveia, atum.

      Se faltar...
      Podem ocorrer dermatites (doenças de pele, como a seborreia), anemia, gengivite (inflamação nas gengivas), feridas na boca e na língua, náuseas e nervosismo.
      Também pode causar perturbações no crescimento.

      Se houver em excesso...
      É pouco tóxica, mas doses altas podem provocar intoxicações neurológicas que resultam em formigueiro nas mãos e diminuição da audição.
      __________________________________________________________


    • Ácido Fólico

      Outros nomes: Vitamina B9, folacina, folatos, ácido pteroilglutâmico.
      Antigamente chamava-se Vitamina M, mas é uma denominação fora de uso.

      Tipo: hidrossolúvel

      História:
      A sua história liga-se de perto à da Vitamina B12.

      Curiosidades:
      - Cozer muito os alimentos pode destruir até 90% do seu conteúdo em ácido fólico.
      - Há países, como a Inglaterra e o Chile, em que o ácido fólico é acrescentado à farinha de trigo de uso doméstico. Nesses países, os suplementos por outras vias são desnecessários.

      Utilidade:
      Antes da concepção e na gravidez, a futura mãe deve tomar esta vitamina, para evitar más formações no sistema nervoso da criança.
      Esta vitamina actua em conjunto com a vitamina B12 na transformação e síntese de proteínas e na formação do ADN, que interfere na hereditariedade.
      É necessária para o bom funcionamento do cérebro. Previne a anemia, promove a formação de células saudáveis e dos glóbulos vermelhos.
      Contribui para o crescimento dos tecidos, previne doenças cardiovasculares, ajuda o funcionamento dos intestinos.

      Onde se encontra:
      Alimentos frescos, carnes, verduras escuras (brócolos, espinafres, etc.), cereais, feijões e batatas. Cerveja, gema de ovo, fígado, tâmaras secas, peixes (principalmente atum e salmão), ostras e citrinos.

      Se faltar...
      Gera malformações congénitas nos bebés ao nível do cérebro e do sistema nervoso, incluindo o lábio leporino e a fenda palatina. Pensa-se que tem influência nos partos prematuros.
      Nos adultos, a falta de ácido fólico deve-se sobretudo ao consumo de comidas industrializadas, causando anemia e inflamações gastrointestinais. Também surge em alcoólicos que se alimentam mal.
      Junto com a falta de Vitamina B12 causa vertigens, cansaço, perda de memória, alucinações e fraqueza muscular.

      Se houver em excesso...
      O ácido fólico oral não é tóxico.
      __________________________________________________________



    • Vitamina B12

      Outros nomes: cobalamina (hidroxicobalamina, cianocobalamina)

      Tipo: hidrossolúvel

      História:
      A história e as funções da vitamina B12 estão intimamente ligadas ao ácido fólico.
      Em 1824 dois cientistas descreveram casos de anemia, associada a factores digestivos. Em 1860, com outro caso de problemas no estômago viu-se que havia relação com a anemia referida. Em 1872, chamou-se a essa doença anemia perniciosa.
      Em 1925, observou-se que o fígado continha um potente factor que corrigia as anemias causadas pela falta de ferro e que a alimentação com fígado curava a anemia perniciosa.
      Pouco tempo depois, observou-se que as células do estômago segregavam algo que era necessário para corrigir a anemia perniciosa (o factor intrínseco - interno) e que agia em conjunto com um factor extrínseco (externo), semelhante a uma vitamina, obtido a partir do fígado.
      Só vinte anos depois se isolou e cristalizou a Vitamina B12.
      Ao tentar purificar o factor extrínseco descreveu-se uma forma de anemia perniciosa na Índia, que respondia ao factor extraído do fígado, mas que não respondia às fracções purificadas que tratavam a anemia perniciosa.
      Era o factor de Wills, que foi chamado Vitamina M e hoje é conhecido como ácido fólico, isolado em 1941.

      Curiosidade:
      - Ao contrário de outras vitaminas, os níveis de vitamina B12 podem ser medidos no sangue e assim fazer-se um diagnóstico seguro.

      Utilidade:
      Esta vitamina é essencial para o crescimento e metabolismo celular e é fundamental na formação dos glóbulos vermelhos do sangue (hemácias).

      Onde se encontra:
      Fígado, carnes vermelhas, ovos e lacticínios.

      Se faltar...
      Quando esta vitamina falta, as pessoas ficam com a referida anemia perniciosa e perturbações no sistema nervoso, que podem ser irreversíveis, causadas pela morte de neurónios (células nervosas).
      Os sintomas são variados e devem-se à morte ou perda de função das células atingidas no cérebro e na medula.
      As alterações neurológicas podem acontecer mesmo não havendo ainda anemia.
      As células de regeneração e replicação rápida também se ressentem da falta de vitamina B12.
      Podem apresentar manifestações de falta de vitamina B12 os vegetarianos estritos (que não ingerem carne, ovos e lacticínios), pessoas com problema intestinais, no pâncreas e idosos.

      Se houver em excesso...
      As doses que ultrapassam a capacidade diária de aproveitamento pelo organismo são eliminadas na urina.

     

    Vitaminas - Vitamina C
     
    • Outro nome: ácido ascórbico

    • Tipo: hidrossolúvel

    • História:
      O escorbuto é a principal doença causada pela falta da vitamina C, e é conhecida desde o tempo das Cruzadas. Era frequente principalmente nos habitantes do norte da Europa, onde, durante o Inverno, a alimentação era muito pobre em verduras e frutas frescas.
      Nos séculos XVI a XVIII, na época das Descobertas, o escorbuto tornou-se a doença típica dos marinheiros, pois estes passavam muito tempo no alto mar sem comerem frutas ou legumes frescos.
      No século XVIII, com a introdução da batata na alimentação dos europeus (especialmente os do Norte) o escorbuto tornou-se raro.
      Foi só nos finais do século XVII e durante o século XVIII que, fazendo várias experiências alimentares, que se descobriu que dando limões e laranjas aos marinheiros estes não ficavam doentes com escorbuto.
      A marinha inglesa, ao introduzir o sumo de limão na dieta dos marinheiros reduziu os casos de escorbuto de 1457 para 2!

    • Curiosidades:
      - A maioria dos animais sintetiza a vitamina C. No entanto, o porquinho da Índia (ou cobaia), os macacos não humanóides, os morcegos da fruta indianos e os humanos... não.
      - Só em 1936, o ácido ascórbico foi isolado e identificado. Hoje, é produzido industrialmente.
      - A acerola é trinta vezes mais rica em Vitamina C que a laranja.
      - A vitamina C é muito sensível ao calor, luz e oxigénio. Nos alimentos pode ser parcialmente ou completamente destruída por um armazenamento longo ou quando a cozedura dura tempo demais.
      - As batatas, se armazenadas à temperatura ambiente, perdem cerca de 15% do seu conteúdo em vitamina C todos os meses. Ao cozerem-se as batatas descascadas destroem-se mais 30 a 50% da sua vitamina C.

    • Utilidade:
      É muito importante para a formação dos ossos, cartilagens e dentes.
      Por reforçar o sistema imunitário, refere-se que previne gripes, fraqueza muscular e infecções.

    • Onde se encontra:
      Frutas e verduras frescas, especialmente nestas: mamão/papaia, brócolos, laranja, limão e outros citrinos, morango, batata, manga, caju, pimentão, kiwi, melão, acerola, couve, ananás, etc.

    • Se faltar...
      A carência desta vitamina provoca a avitaminose conhecida por escorbuto (que hoje é praticamente desconhecido): as feridas demoram a cicatrizar, há hemorragias, os dentes ficam moles, perde-se de peso, tem-se dores nas articulações e as gengivas ficam inflamadas.
      Um possível sinal de falta de vitamina C é, nos cabelos, os pêlos tornarem-se crespos onde antes eram lisos.

    • Se houver em excesso...
      Se o excesso for mesmo enorme e se se prolongar, formam-se cálculos (pedras) nos rins.
      É mais fácil arranjar uma doença tomando altas doses de vitamina C do que ficar com mais saúde.

     

    Vitaminas - Vitamina D
     
    • Outro nome: calciferol

    • Tipo: lipossolúvel

    • História:
      A vitamina D é, de facto, o nome de duas substâncias: o colecalciferol e o ergocalciferol, que evitam e curam o raquitismo.
      Esta doença, em séculos passados, ocorria nas crianças das cidades, que pouco andavam ao ar livre e ao sol.
      Outros cientistas diziam que a doença só se devia a erros alimentares.
      Em 1919, verificou-se que todos tinham razão, pois ingerir óleo de fígado de bacalhau ou expor as crianças ao sol, prevenia ou curava a doença.
      Em 1924, outros cientistas verificaram que os raios ultravioleta (presentes na radiação solar) também curavam ou preveniam o raquitismo.

    • Curiosidade:
      - Tanto o excesso como a falta de vitamina D altera a formação dos ossos.

    • Utilidade:
      A vitamina D contribui para a formação dos ossos e dos dentes, fixando neles (e no sangue) o cálcio.
      Também favorece o crescimento.

    • Onde se encontra:
      O nosso organismo sintetiza a vitamina D a partir do colesterol.
      Para mais, enquanto apanhamos sol, a nossa pele produz vitamina D.
      De modo natural, obtém-se a vitamina D comendo fígado, óleos de peixes (de água salgada) e gema de ovo.
      Nas regiões onde há pouco sol, pode complementar-se a falta de vitamina D ingerindo óleo de fígado de bacalhau.

    • Se faltar...
      Nas crianças, a falta de vitamina D provoca o raquitismo: os dentes nascem tarde e caem, os ossos são moles - vê-se nas pernas arqueadas, por exemplo.
      Nos adultos, a falta de vitamina D provoca a osteomalácia (os ossos amolecem). Nos idosos leva à osteoporose.

    • Se houver em excesso...
      A hipercalcemia leve pode não apresentar sintomas. Os casos mais graves podem apresentar anorexia, cólicas abdominais, náusea, vómitos, sede intensa, desidratação, delírio, fraqueza muscular.
      O depósito de cálcio nos rins quando o organismo tenta eliminar o excesso deste pode provocar insuficiência renal aguda.

     

    Vitaminas - Vitamina E
     
    • Outros nomes: tocoferol.
      Na verdade são oito substâncias semelhantes reunidas sob o nome de tocoferóis.

    • Tipo: lipossolúvel

    • História:
      Em 1922, dois cientistas observaram que ratas grávidas não mantinham a prenhez. Engravidavam, mas abortavam, pois faltava-lhe um factor desconhecido.
      Também foram observadas alterações nos testículos dos ratos a que faltava essa substância, considerada como sendo anti-esterilidade, daí o nome de vitamina E.
      A vitamina foi isolada em 1936, verificando-se que eram tocoferóis.

    • Curiosidades:
      - O nome tocoferol deriva da palavra grega tocos, que significa nascimento, e pherein, que significa transportar. O nome foi dado para destacar o seu papel essencial na reprodução das várias espécies animais. O -ol final identifica a substância como sendo um álcool.
      - O leite de mulher contém vitamina E suficiente para o filho, ao amamentar, ao contrário do leite de vaca.
      - A princípio pensava-se que era a vitamina da fertilidade sendo indicada para tratar a impotência sexual. Para desilusão de alguns, isso nunca foi comprovado...

    • Utilidade:
      É importante para o funcionamento dos tecidos musculares e necessária à formação das células sexuais.
      Funciona como antioxidante e ajuda a proteger os tecidos corporais dos efeitos dos radicais livres.


    • Onde se encontra:
      Os óleos vegetais (amendoim, soja, palma, milho, cártamo, girassol, etc.) e o gérmen de trigo são as fontes mais importante de vitamina E.
      Encontra-se também nas nozes, sementes, grãos inteiros, e vegetais de folhas verdes.
      As margarinas e outros alimentos gordos são fortificados com vitamina E.

    • Se faltar...
      A falta de vitamina E provoca alterações neurológicas: diminui os reflexos e a sensibilidade vibratória, por exemplo.
      As dificuldades visuais podem também ser agravadas pela falta de vitamina E. A esterilidade está associada à falta desta vitamina.

    • Se houver em excesso...
      A vitamina E mesmo em altas doses não é tóxica. No entanto, pode interferir na absorção de outras vitaminas lipossolúveis e do ferro dos alimentos, provocando anemias.
      Altas doses de Vitamina E aceleram uma doença dos olhos: a retinite pigmentosa.

     

    Vitaminas - Vitamina K
     
    • Outro nome: naftoquinona

    • Tipo: lipossolúvel

    • História:
      Em 1929, o médico Henrik Dam, observou que pintos alimentados com determinadas rações tinham sangramentos (hemorragias), porque os níveis de protrombina no seu sangue estavam demasiado baixos.
      Seis anos depois, verificou que uma substância desconhecida, lipossolúvel, combatia essas perdas de sangue. Chamou-lhe vitamina K (Koagulation Vitamine).
      Na mesma época, outros investigadores verificaram que era a diminuição de protrombina no sangue que causava hemorragias.

    • Curiosidades:
      - A vitamina K tem três tipos: a vitamina K1 (filoquinona, fitonadiona), que se encontra nos vegetais, a K2 (menaquinona) que se produz no tracto intestinal e a K3 (menadiona), que é sintética (fabricada).
      - A vitamina K que se consome numa dieta alimentar habitual excede normalmente a dose diária recomendada.

    • Utilidade:
      A vitamina K é fundamental para a produção da protrombina, uma proteína corporal, que é um factor importante na coagulação do sangue.
      As vitaminas K1 e a K2 praticamente não têm actividade em pessoas saudáveis. Age também na prevenção de osteoporose.

    • Onde se encontra:
      Vegetais de folhas verdes (espinafre, couve, repolho, alface, nabo) e fígado.
      Também está presente nos lacticínios, gema de ovo, tomate, arroz integral, nas ervilhas e nos óleos vegetais.


    • Se faltar...
      Na falta da Vitamina K (o que é raro em adultos) podem ocorrer hemorragias e problemas com a coagulação do sangue.

    • Se houver em excesso...
      Mesmo em altas doses, as vitaminas K1 e K2 não são tóxicas.
      A vitamina K3 (em altas doses) pode provocar anemia e lesões no fígado.

     

     

     

     

    Obrigada pela visita.

    Volte sempre!!!

     

    .Para Você

    Anjinhos
    Animais
    Bublle
    Cutes
    Meninas
    Meninas2
    Meninos
    Natal
    Bonecas
    Bonecas Palito
    Selos
    Barrinhas
    Mini barrinhas
    Hello Kitty
    Fadas
    Flores
    Dolls
    Dolls2


    .Blogs Que Visito



    Mariposa




    *andando-e-pensando
    *olha_por_mim
    *Já Cheguei






    .links

    .Créditos



    Clique aqui e tenha acesso  ao Site Tony Gifs & Javas

    Coisinhas e Tal

    O melhor site de GIFs!

    VICKYS.com.br

    *LadyLony*

    Tony Gifs & Javas




    Cantinho dos Miudos



    . Prémios que Ganhei



    *1º Prémio